Pedro Chagas Freitas, autor de uma das obras portuguesas mais lidas e sublinhadas de sempre, o livro PROMETO FALHAR, juntou-se ao realizador Alberto Rocco e sua equipa para lançar um filme, que assume o mesmo nome do seu icónico livro.

PROMETO FALHAR foi descrito em Itália, onde já vendeu algumas centenas de milhares de exemplares, como o livro mais sublinhado de sempre.

Com mais de meio milhão de obras vendidas, cerca de 1,5 milhões de seguidores nas redes sociais, a obra, traduzida e à venda em vários países, dá agora um salto do livro para o ecrã.

“PROMETO FALHAR mexeu com a minha vida. Pelo que representou, pelo que foi. Mexeu com tudo o que eu era e continuei a ser. Mas mexeu também com a vida de muitos milhares de pessoas por todo o mundo. Quando o Alberto Rocco me falou na possibilidade de fazermos um filme inspirado nesta obra, nem hesitei. Seria um desafio hercúleo; mas sabia, mais ainda, que ele estaria à altura. Queríamos algo que trouxesse a essência do livro para o ecrã: algo que juntasse a ficção à realidade — para de alguma forma trazer a verdade atrelada a si.  Era essa a chave para que tantas e tantos se identificassem com ele. Que história haveríamos de contar? Porque não a minha, que falhei tanto?”, partilhou Pedro Chagas Freitas.

Alberto Rocco, realizador do filme, refere: “Sou fã do Pedro há anos e pensei várias vezes em fazer algo com ele. O que me levou a fazê-lo? O desafio, claro! E um bocadinho da loucura (sã) que me carateriza. Poucas vezes se conseguiu satisfazer totalmente os leitores de um livro com o seu filme e também eu não tenho essa presunção, pois, ao lê-lo, cada um cria o seu próprio filme. Neste caso, o Prometo Falhar foi o filme que eu imaginei e realizei. Espero que gostem!”.

A estreia está marcada para o dia 5 de julho, nos Cinema City, em Lisboa, Setúbal, Sintra e Leiria.

Pedro Chagas Freitas assume: “Falhei. Falhei de várias maneiras. Falhei em tudo — e só por isso nasceu o PROMETO FALHAR. Tenho a certeza, no entanto, de que o Alberto não falhou neste filme — que é no fundo um poema visual, uma narrativa com poesia dentro. Vejam-no com medo de falhar. Mas com coragem para sentir. O amor é isso, sempre isso, incansavelmente: ter coragem para sentir”.

“Prometo Falhar: o Filme” é uma coprodução de Alberto Rocco, José Rodrigues e Octávio Marques — em parceria com o autor Pedro Chagas Freitas.

 

Pedro Chagas Freitas escreve cenas variadas. Romances, novelas, contos, crónicas, guiões, letras de música, textos publicitários e outras imbecilidades. Publicou mais de duas dezenas de obras. Está na lista dos mais vendidos de 2014 em Portugal. Estudou linguística e criou jogos didáticos para estimular a produção escrita. Foi nadador-salvador, barman, operário fabril, porteiro de discoteca, jogador de futebol. Acredita que o país perfeito é a Lamechalândia. E vive por lá todos os dias.

Alberto Rocco nasceu em Torino, em Itália, cidade onde se formou em Ciências da Informação. Os seus filmes mais representativos são a longa metragem “A Bússola”, o documentário “Born To Fly” e “O Esquema”, uma comédia onde o real e o irreal se misturam e que resultou de um curso de cinema digital promovido pelo mesmo. Depois de 2017, ano que terminou em Hollywood com prémios ganhos em dois filmes que realizou, 2018 apresenta-se-lhe risonho, com a estreia no cinema nacional do filme “Prometo Falhar”, inspirado no bestseller do autor português Pedro Chagas Freitas com o mesmo nome. Alberto Rocco é diretor de audiovisuais do Jornal Económico, realizador e escritor.